quarta-feira, 16 de abril de 2008

Esculachando!

Esculachando!



Depois de estrear de forma arrasadora, o Músicarolando agradece aos milhares de comentários. E credita todo esse sucesso ao fato de ser um blog extremamente sério e comprometido com os problemas, soluções e prazeres do mundo atual. Ao todo foram 4 (quatro) comentários que tinham sido feitos até o momento em que escrevia isso aqui.

Devo confessar que destes, três são de grandes amigos, que não querem perder minha amizade. E o outro, o outro... Bem, o outro é da minha mulher, que não na intenção de me pressionar, colocou: “AQUELA FRASE” em seu comentário, aquela que se você quer saber qual é, deve ler o post anterior.

Por falar no post de ontem, ele me remete a uma antiga canção Acreana. E como até o presente momento o blog, que se chama Músicarolando, ainda não falou de música, vou colocar aqui a letra desta incrível obra do Grupo Capú (a primeira banda de rock autoral de Rio Branco).

Segundo Clenílson Batista, autor da canção, á música não possui nenhum duplo sentido, (vendo a letra não consigo entender como alguém pode ver duplo sentido nessa canção) na verdade ele viveu um problema muito semelhante ao que relatei no post anterior.


Aí vai:

A POMBA – Grupo Capú

No pombal da minha vizinha aconteceu o caso engraçado
De uma pomba e um pombão e um pombinho apaixonado
E desse caso de amor foi que veio a inspiração
Foi com pena do pombinho
Que eu fiz essa canção
Ai,ai, ai.
Que eu fiz essa canção

Coitadinho do pombinho
Ta gamado pela pomba
Mas a pomba nem lhe dá atenção
Ta gamada no pombão
Mas o pombinho não desisti
E pega a pomba
E alisa a pomba bá bá
E beija a pomba bá bá
Segura a pomba
Não deixa a pomba voar

Os amigos do pombinho dizem que ele sofre atoa
Ele diz que não tem culpa se a pomba é muito boa
Que não existe no pombal uma pomba mais bonita
Que ele não troca a pomba por urubu nem piriquita ai ai
Por urubu nem piriquita

Refrão

E por aqui eu vou ficando, pois não quero ir mais além
Pois eu não gosto de pomba e nem de pombão também
Mais não sou contra que goste e vou deixar o meu recado
Quem quiser goste de pomba
De cuati ou de veado aiaiai
De veado ou de cuati


Bem, como já deu pra ver, hoje finalmente vou usar este espaço pra falar de música. Quer dizer, não é bem música..., assim..., mais é quase..., barulhento também, têm até letra e melodia, assim..., uma melodiazinha bem pequenininha e uma letra que não é assim do Chico ou do Vinícius...

Deixemos de enrolar e vamos direto ao ponto. Hoje vamos falar do super-hit da música brasileira: O CRÉU.

Ao deflorarmos o inimigo, devemos primeiro nos indagar algumas coisas.

1 – O CRÉU é música?

Análise: Sim, o CRÉU certamente é música. E a prova desta afirmação, é que eu consegui (na net), a partitura do CRÉU.

Vejam como ás coisas nem sempre são o que parecem. Trata-se de uma partitura altamente complexa, onde as próprias notas fazem o vai e vêm do CRÉU, em todos os compassos da música, umas com mais velocidade (CRÉU), mais velocidade (CRÉU, CRÉU, CRÉU) e mais ainda (CRÉU, CRÉU, CRÉU, CRÉU, CRÉU...).


2 – Você gosta do CRÉU mais morre de vergonha de dizer, pois vai ser malhado por todos?

Análise: Querido leitor ou leitora, se este é seu caso, não tenha mais medo, simplesmente se conforme e continue calado. Afinal, pega muito mal confessar o seu extremo mal gosto a todos os seus amigos. Uma outra saída pra você, é ouvir o CRÉU em todos os programas de TV e dizer que é por causa da mulher melancia, no caso das meninas, bem, vocês podem fazer um abaixo assinado exigindo que o NXZero grave o CRÉU em seu próximo álbum divulguem no site da banda, que é batata!

3 – O fato de o Brasil inteiro conhecer o CRÉU, quer dizer o que?

A) O CRÉU é melhor que Jazz.
B) O CRÉU é um verdadeiro Ritmo latino.
C) Você não saca nada de música. Afinal, a maioria sempre tem razão.
D) Sua banda deve fazer uma letra com o mesmo grau de complexidade do CRÉU, para poder ficar famosa?
E) N.D.A

Resposta: Se você respondeu letra (E), acertou.

Justificativa: num país como o Brasil, onde a falta de instrução é uma realidade inegável, a bunda passa a ser uma realidade palpável. Ou seja, uma bunda do tamanho de uma melancia, rebolando em várias velocidades é sucesso certo.

Enfim, não é uma questão musical e sim bundal, buzanfal, Briochal etc...

Curiosidade: O termo popular "bunda", usado como sinônimo de nádegas, foi originado a partir de ovimbundos, uma etnia de Angola, integrante do grande grupo de etnias bantu. Desde os tempos da escravidão africana promovida por Portugal, as mulheres ovimbundas já eram notáveis pela sua elegância e beleza física. Seu nome foi, então, simplificado: "bundas", e, posteriormente, este termo foi atribuído às suas exuberantes e fartas nádegas, a despeito daquelas européias e ameríndias. Por fim, o nome ganhou uso mais genérico, sendo, hoje, referimento às nádegas de qualquer indivíduo, não obstante seu sexo, ou etnia.

Comentem a vontade!

Aarão Prado.

4 comentários:

thalyta disse...

Acredite! eu nunca ouvi essa música!
só ouço o povo cantar e comentar
é uma merda só pelo que ouço dizerem.
¬¬''
ehuihauia

Santiago Queiroz disse...

Créu de cú é rola...

Mas, que pega? Pega...

camila disse...

o pior é ter trazido a Lacraia pra ensinar este troço...tudo bem que dançar maxixe, no começo do século passado era terminantemente proibido ouvir esse tipo de música:

machiche da Zeferina, de chiquinha gonzaga...
Sou mulata brasileira
Sou dengosa feiticeira
A flor do maracujá
A flor do maracujá

Minha mãe foi trepadeira
Ela arteira e eu arteira
Inigualmente a trepar
Inigualmente a trepar

Pança com pança
Bate com jeito
Entra na dança
Quebra direito
Quebra direito

Esse maxixe
Quase me mata
Não se enrabiche
Pela mulata
Pela mulata

Este maxixe
Quase me mata
Não se enrabiche
Pela mulata
Pela mulata

portanto depois de tantas ritas baianas...como não podemos incluir o tal créu...já pensou?! fico com muitos questionamentos para tamanha contemporaneidade...
quem é pior? de fato, existe opior?rsrsrsrs
Por favor, antes que causem mal estarem algumas pessoas, seimuitobem da relevância de chiquinha e tb sei que ela escrevia sobre a sua realidade, então... a nossa realidade atual é um grande e terminantemente um lugar que se chama ....CRÉU!

Veriana Ribeiro disse...

o queee? Mas Créu é uma musica tão cheia de conteudo. Vocês que não conseguem ver a grandiosidade desta musica maaaravilhosa. Olha só a partitura? Não ha nem palavras para descreve-la.

PS: Thalyta, eu não tinha ouvido. Ate duas semanas atras. Agora parece que me percegue, um horror. Fuja o quanto puder